RESENHA: Por um simples pedaço de cerâmica

Sinopse: Ch’ulp’o é uma aldeia de ceramistas, famosa pelos delicados jarros de cerâmica celadon, e Min é o melhor artesão de Ch’ulp’o. Embora Min tenha a fama de perder a paciência com facilidade, Orelha-de-pau é atraído de forma irresistível a seu local de trabalho. O menino sente fascinação pelo milagre do ofício do ceramista e sonha fazer seu próprio jarro algum dia. Tal sonho o conduz por caminhos inesperados, com perigos e recompensas inimagináveis. Esta história sobre um espírito criativo à procura de realização é ambientada na Coréia durante o século XII, onde o curso do destino da humanidade podia ser determinado por um simples pedaço de cerâmica. 
Editora: Martins Fontes 
Autor: Linda Sue Park
Onde Comprar: Saraiva|Submarino|Cultura
Classificação: 4/5

Quem me recomendou esse livro foi minha professora de produção textual, eu estava bastante ansiosa pela leitura, mas não tinha nenhuma expectativa, já que não fazia ideia do que se tratava o livro.

   Por um simples pedaço de cerâmica conta a história de Orelha-de-pau, um garoto órfão que mora em baixo de uma ponte junto com seu colega Homem-garça. A aventura de Orelha-de-pau se desenrola durante o século XII na Coréia. O destino não foi generoso com Orelha-de-pau nos últimos anos, mas o mesmo destino cruel que obrigava o garoto a buscar por comida para não morrer de fome, o leva a conhecer o misterioso e pouco simpático Min, um dos melhores ceramistas da aldeia Ch’ul’p’o (famosa por seus jarros de cerâmica).

 Um pote de cerâmica quebrado aproxima Orelha-de-pau de Min, já que o garoto oferece seus serviços para pagar o prejuízo do ceramista com a peça quebrada, meio a contra gosto Min aceita a oferta e os dois passam a trabalhar juntos na produção. Durante esse período de intenso trabalho, Orelha-de-pau aprendeu sobre os processos que transformam a argila bruta em lindos vasos de cerâmica celadon -essa foi minha parte favorita do livro, a autora descreve o processo de fabricação de um modo muito poético e, ao mesmo tempo, objetivo e claro. 

   O trabalho, até então, calmo e pouco útil que Orelha-de-pau desempenhava, muda radicalmente com a chegada de um enviado real em busca de um novo ceramista oficial para o imperador. A visita faz com que todos os ceramistas se empenham para produzir o melhor trabalho feito em argila de todos os tempos para conseguir a vaga, até mesmo Min passa a trabalhar com esse objetivo. 

  Mesmo sendo considerado o melhor ceramista da aldeia, o trabalho de Min não foi o primeiro escolhido pelo enviado real. Entretanto, lhe foi concedida uma segunda chance, mas para conseguir realizar o sonho de ser um ceramista real Min precisaria enviar uma peça autêntica para outra cidade a quilômetros de distancia de sua aldeia. Pelo fato de ser muito velho para realizar tal viagem, o escolhido para essa tarefa foi Orelha-de-pau, que esperava trazer boas notícias quando voltasse de viagem e realizar o sonho de seu mestre. Porém, novamente o destino interfere em seus planos.

 Durante a viagem Orelha-de-pau enfrentou perigos que mudaram o curso de sua vida, e as notícias que o esperam em Ch’ul’p’o ao fim de ser não foram nada boas.

  O livro é fininho e a narrativa é uma delícia de ler, adorei conhecer um pouco da cultura coreana do século XII, a autora soube trabalhar muito bem os costumes da época. Min, Orelha-de-pau e Homem-garça são personagens muito peculiares que contribuíram muito para o sucesso da aventura, principalmente para o final que foi muito, muito triste. Como um todo, o livro é um romance histórico com cara de aventura infanto-juvenil que tem tudo para agradar o leitor, já que a leitura é simples e a história por detrás do período histórico é muito tocante e cheia de significados. Pra quem não curte muito romances históricos esse é um bom livro para começar a gostar! 

You may also like

RESENHA: Os 13 Porquês

RESENHA: Os 13 Porquês